Faça sua pesquisa:

Por favor preencha o campo
botão whatsapp
Dicas e curiosidades
17 de dezembro de 2015

Época de chuvas: como evitar que isso atrapalhe a obra

O gestor de uma obra tem compromisso com o cronograma de execução dos trabalhos. No entanto, há fatores que interferem diretamente no andamento. Um dos mais complexos é a chuva. Uma simples garoa persistente pode impactar a realização de tarefas. Temporais são ainda mais prejudiciais.

Para evitar transtornos, aconselha-se dar especial atenção ao planejamento. Algumas medidas de caráter preventivo ajudam a driblar possíveis contratempos. Se o cronograma permitir ─ o que quase nunca acontece ─ procure evitar a execução de determinadas tarefas entre os meses de dezembro a fevereiro, período em que, principalmente na região sudeste, o índice pluviométrico aumenta consideravelmente. Nessa época, deve-se dar atenção especial aos ventos fortes que às vezes veem com a chuva, pois impedem atividades como a fixação de balancins ou a estabilização de alvenarias recém-executadas. Se o cronograma permitir deixe “de reserva” alguns serviços em área já coberta.

O que fazer em caso de chuvas

Nos casos em que a chuva afeta o andamento do trabalho, cabe ao gestor da obra tomar medidas, tais como a adequação da equipe para reduzir atrasos e a redefinição do cronograma físico. Ele deve avaliar as melhores decisões para que os períodos com maior precipitação pluviométrica não coloquem em risco a entrega do empreendimento na data acertada. Cada momento da obra requer procedimentos específicos para se evitar – ou, pelo menos, reduzir – os efeitos da chuva.

Terraplenagem, Escavações

Nesta etapa da obra, temporais ou chuvas moderadas interferem no funcionamento de equipamentos e podem colocar em risco a integridade física dos funcionários. Dependendo do tipo de serviço, não há alternativa a não ser paralisa-los.

Estrutura e alvenaria

O momento crítico nessa fase dos trabalhos diz respeito à concretagem. A água da chuva pode eventualmente afetar a resistência do concreto. A argamassa de assentamento também perde resistência. Outro problema diz respeito à alvenaria estrutural, cuja execução fica temporariamente inviabilizada em caso de temporal ou até mesmo de garoa. Neste caso, é fundamental acompanhar a previsão do tempo. Se houver a perspectiva de chuva, o gestor deve remanejar a equipe para outras tarefas.

Caixilhos e instalações prediais

Talvez esta seja a etapa da obra que sofra menos influência das condições climáticas, pois os serviços costumam ser executados em áreas cobertas. A exceção se refere às instalações hidráulicas e elétricas em área externa. Se chover, o trabalho precisa ser suspenso.

Áreas externas e fachadas

Outra etapa da obra que exige por parte do gestor especial atenção. Aconselha-se analisar o cronograma e buscar executar os serviços fora do período com maior ocorrência de chuvas. Se isso não for possível, o responsável pela obra deve prever um período maior para a conclusão do trabalho.

Como proceder

É impossível prever, com certeza, as condições climáticas durante todo o período de execução de uma obra. Entretanto, o gestor tem ferramentas capazes de auxiliá-lo a reduzir os impactos que a chuva causa no cronograma de trabalhos. Planejamento e acompanhamento das previsões do tempo ajudam a prevenir problemas.

Relacionados


Cadastre-se e receba novidades